Como Desenvolver uma Marca Pessoal Forte e Zonas de Engajamento!

Olá, tudo bem? Aqui é o Anderson Almeida da Empresa Carpediando e hoje estou escrevendo esse artigo para meu colega Fábio, e essa é uma ótima oportunidade de compartilhar o que aprendi nos últimos anos!

  • Você já pensou em ser um profissional único?
  • Já pensou em ganhar mais, sem precisar trabalhar o dobro?

É exatamente sobre isso que vamos falar hoje, como desenvolver uma marca pessoal forte, e também como você pode criar zonas de engajamento!

Para você atingir esses dois objetivos, você vai precisar aprender:

  • Definir sua mensagem principal.
  • Definir zonas de engajamento.

Continue lendo e entenda melhor como tudo funciona…

Antes de começar falar propriamente do conteúdo, permita-me falar um pouco da minha história até aqui…

Quando tinha apenas 16 anos descobri na biblioteca da minha escola pública um livro, e nessa época eu não tinha muita familiaridade com leitura e tudo mais. Esse livro me chamou atenção, então eu tirei uma carteira de leitura só para pegar aquele livro e poder ler. Alguns dias se passaram e eu fiquei muito impressionado com o conteúdo do livro, ao ponto de debater com professores na época sobre quem eu realmente era, ou caso perdesse a memória quem eu seria. Eu sei, parece tudo muito estranho, mas foi o primeiro livro de filosofia que eu li na vida. E essa história ilustra bem o que é Marca, é algo que fica na memória que marca nossas vidas de alguma forma.

Bem, agora podemos continuar no assunto principal, sem mais histórias por enquanto.

A primeira coisa que precisamos entender sobre marca é: “Marcas são memoráveis…”.

Além disto, elas influenciam muito nossa forma de pensar e decidir tudo em nossa vida.

Ok! Mas o que é Marca pessoal?

Marca pessoal nada mais é do que a memória que uma pessoa cria em outras pessoas, simples assim. Não que seja fácil desenvolver uma, ainda mais forte.

Por isso, vamos falar sobre como desenvolver uma marca pessoal FORTE.

E o que é uma Marca Pessoal Forte?

É uma memória que uma pessoa gera em outras pessoas, e além de ser memorável contribui para que essas pessoas tomem uma ação, seja contratar um profissional, comprar um produto do vendedor, ou fechando um acordo com parceiro, pensando profissionalmente é claro, existe muitas outras finalidades.

Bem, agora que já entendemos o que é Marca Pessoal, e Marca Pessoal Forte vamos entender como desenvolvê-la.

Como definir sua mensagem principal!

A primeira coisa que você vai precisar aprender é definir sua mensagem principal, a base para começar a sua marca.

Para isso você precisa saber bem:

  • Sua Missão! (Porque você faz o que faz?).
  • Sua Visão! (Aonde quer chegar com isso?).
  • Seus Valores (Como faz ou deixa de fazer algo?).
  • Sua História
  • Frase de Elevador

Pode parecer complicado, mas vale muito apenas ler até o fim…

Primeiro de tudo tenha consciência do seu objetivo ao desenvolver sua marca, qual é o real objetivo.

Defina sua meta, aquilo que deseja alcançar desenvolvendo uma marca, tanto para definir seu foco, como para ter motivação nos momentos difíceis.

De acordo com Simon Sinek: “As pessoas não compram o que você vende, elas compram pelo motivo pelo qual você vende!”.

Para definir sua missão então basta responder: O que é bom em fazer? (Habilidades), O que gosta de fazer? (Paixão), Para quem vai fazer? (Remuneração).

Já a sua Visão será definida por sua meta principal profissionalmente: Onde deseja chegar? Quanto deseja ganhar? Quantas pessoas pretende impactar?

E os seus Valores são os pilares de tudo o que pretende fazer ou não fazer, são os valores morais realmente. O que eu não faço por todo o dinheiro do mundo? O que eu faço mesmo sem pagarem nada?

Permita-me dar um exemplo prático!

Minha missão é viver uma vida em paz na companhia dos meus amigos, contribuindo para que todos prosperem e deixem suas marcas no mundo.

Minha visão é ter um mundo onde possamos partilhar mais do que consumir, e que todos possam ter abundância em suas vidas.

Meus valores pessoais são ética, respeito e liberdade.

Bacana, até esse ponto podemos perceber que Marca Pessoal vai muito além de apenas o marketing ou autopromoção.

Se você está gostando do artigo até aqui se lembre de compartilhar com seus amigos.

Agora, vamos entender como funciona a criação da sua história, algo essencial para construir sua marca.

Toda vez que nós queremos propagar uma ideia nova a melhor forma é contando histórias, pelo fato de a maior parte da nossa cultura ser assim, desde a pré-história.

Lembre-se das histórias mais memoráveis na sua vida, nos filmes, que um amigo contou e outras. É bem mais fácil do que lembrar o que você almoçou duas semanas atrás no almoço.

Você pode se aprofundar no tema lendo o livro “O herói de mil faces”, do autor Joseph Campbell.

Esse autor estudou as principais histórias épicas da nossa civilização para entender qual era a estrutura mais comum.

Ele conseguiu sintetizar em seu livro 12 passos que constroem a imagem de um MITO, um herói fora do comum, realmente alguém ÉPICO.

Por essa razão eu sempre utilizo essa estrutura com os meus clientes e recomendo sempre que posso.

Porém, agora não vamos focar em desenvolver os 12 passos completos, mas os três atos principais. Que são: Chamado, Travessia e Retorno.

O Chamado

O chamado é a parte onde você percebeu que tinha essa missão para cumprir em sua vida, a mesma missão que abordamos anteriormente.

Esse chamado pode ser algo divino, metafísico ou uma necessidade básica, pode variar de acordo com sua história de vida.

“Em um determinado dia estava completamente sufocado com o estilo de vida que estava levando, o trabalho tradicional das oito as cinco, com a mesma rotina todos os dias, foi nesse momento que percebi que precisava mudar…”.

Em geral o chamado começa com você em um lugar comum, onde as pessoas vão conectar-se a você, sabendo o que é esse sentimento e esses problemas.

Você pode ter recusado abrir mão de algo, ou de aceitar essa mudança em sua vida, até mesmo pode ter aceitado a ajuda de um mentor, guia, ou tutor para depois começar sua jornada.

A Travessia

Nesse ponto da sua história você deve descrever como foi o caminho de transformação pessoal, e também contextual para chegar numa resposta para sua solução.

Descreva em detalhes quais foram os pequenos desafios, seus aliados e seus inimigos nessa jornada, o que precisou mudar e aprender.

Procure descrever também em detalhes a mudança que aconteceu externamente na sua vida.

Quando eu percebi esse problema em minha vida comecei a pesquisar maneiras de mudar, procurei a ajuda de um mentor que havia me ajudado a escrever meu primeiro livro, ele me indicou a leitura de vários livros e práticas simples para aumentar minha zona de conforto. O mais complicado nesse processo todo foi mudar minha mentalidade de um funcionário público para um empreendedor…”.

Lembre-se de enfatizar seu esforço para realizar a mudança e encontrar a resposta para suas questões, dúvidas e objeções.

O Retorno

Nessa parte da história você já descobriu a maior parte das informações necessárias para solucionar seus problemas, e agora vai ajudar outras pessoas nesse processo.

Mas, para atingir esse objetivo você precisa passar pela maior dificuldade e mostrar para outras pessoas que consegue gerar um determinado resultado, alcançar um objetivo ou realizar uma transformação.

É importante esclarecer que esse processo todo pode envolver uma faculdade, um curso de especialização, um estudo aprofundado sozinho com certificação, experiência de trabalhos ou viagens.

Depois que comecei a realizar a minha mudança era hora de colocar em prática tudo o que eu havia pesquisado, estudado. Então, viajei para a casa do meu irmão mais velho e durante três dias me dediquei em escrever todo o argumento da minha empresa, descrever que produtos eu poderia oferecer ao mercado, com a marca, qual o público alvo, enfim. E para o grande lançamento fechei parceria com uma associação comercial da minha cidade e realizei minha primeira palestra e comecei a receber os primeiros contratos de consultoria. Enfim, consegui me tornar uma pessoa livre, sem rotinas e bem mais realizado com o meu trabalho!

Perceba que eu comecei essa pequena história com o ponto inicial onde percebi a minha dor principal, insatisfação pessoal com o trabalho. E passei por uma pequena travessia com muitas lutas e aprendizado e enfim resolvi esse problema.

Essa história será importante sempre que precisar explicar a outras pessoas, em mídias tradicionais como se tornou o que você é.

Uma pergunta comum em rádio, programas de televisão ou até mesmo em entrevistas no Youtube é: “Como foi que você começou sua carreira? Quando foi que percebeu que tinha vontade de fazer isso?”.

Boas histórias sempre emocionam e são memoráveis, por isso utilize esse recurso na construção da sua marca pessoal.

Além disso, você pode resumir essa história toda e combinar com os três elementos anteriores para criar sua Frase de Elevador.

Essa frase de elevador é importante para quem deseja conseguir uma parceria, um investimento ou criar um contato com uma pessoa, mas não tem tempo.

Imagine que você tenha uma ótima ideia de projeto, mas precisa de investimento para que ela funcione realmente do jeito que planejou, e encontra um investidor em um hotel e precisa deixar claro para ele em apenas 30 segundos o que você pode contribuir para ele e o que precisa em troca.

É exatamente para esses momentos que existe sua Frase de Elevador. Pode parecer algo simples, mas faz muita diferença ter uma.

Show de Bola! Agora vamos entender o papel das mídias sociais para o crescimento da sua marca.

Como definir zonas de engajamento!

Bem, antes de falar exatamente das zonas de engajamento precisamos entender como funciona nossas conexões emocionais.

Nossas conexões emocionais são relacionamentos que criamos entre pensamentos, sentimentos que temos arquivados com o objeto que temos diante de nós, ou seja, conectamos diversos fatores por associação.

Por isso, uma pessoa que ouve rock quando vai a um bar de rock sente-se muito bem.

O mesmo acontece com um agricultor quando acorda pela manhã para colher soja, ele se sente bem com aquela atividade, por ter memórias boas em relação a ela.

A partir do momento que você definiu a sua mensagem principal você precisa entender como fazer essa mensagem se conectar com outras pessoas, sem isso não há motivo para desenvolver uma marca pessoal forte.

Uma das principais finalidades de se desenvolver algo assim é para ter mais influência na vida e nos negócios como um todo.

Por isso vamos utilizar uma ferramenta muito importante para entender quais canais você vai selecionar para criar sua zona de engajamento.

O nome dessa ferramenta é Mapa da Empatia. Essa ferramenta combina diversos fatores que influenciam nas decisões das pessoas e em suas conexões emocionais.

Os fatores que essa ferramenta combina são: Pensamento, Visão, Audição, Expressão, Dores e Desejos.

Digamos por exemplo que a sua mensagem seja “limpar o mundo através da reciclagem”, e você precisa conectar-se a pessoas que tem interesse por essa mensagem.

Você primeiro deve se perguntar: O que as pessoas pensam sobre esse tema? O que elas veem? O que elas ouvem? O que e como elas falam disso? Quais dores esse problema causa? Quais desejos estão relacionados a esse tema?

Exemplo:

Pensamentos: “Só um latinha não faz diferença”, “Por que eu vou reciclar se todo mundo está sujando as ruas”…

Visão: “Sujeira nas ruas, rios poluídos, área de lazer mal cuidada”…

Audição: “Pra que se preocupar com isso? Esse mundo tá perdido mesmo!”…

Expressão: “Eu não vou sofrer com isso! Meus filhos ou netos que se virem”…

Dores: “Incomodo causado pela sujeira, Irritação com poluído do ar, problemas de saúde”…

Desejos: “Ficar em ambientes limpos e arejados, Ter paisagens preservadas”…

Bem, agora já entendemos o que é uma Marca Pessoal Forte e também como funciona basicamente o Mapa da Empatia, ou seja, os pontos de conexão entre sua mensagem e sua audiência.

Agora é o momento para você decidir qual canal vai utilizar a partir das pesquisas que vai realizar, e do conteúdo que pretende gerar.

É sempre importante você ter um site (pois será livre para publicar), e também manter um relacionamento com sua audiência, de preferência por e-mail.

Nosso colega Fábio tem um curso completo falando sobre isso, como criar esse relacionamento por e-mails e tudo mais, eu recomendo fortemente.

Além de ter um site você pode produzir conteúdos diversos, sejam áudios, sejam vídeos, seja textos ou até imagens.

Todos esses conteúdos terão como conteúdo principal propagar sua mensagem para as pessoas e, além disso, direcionar as pessoas para o seu site.

Você pode, por exemplo, gravar um vídeo informal se apresentando e contando sua jornada do herói, e outros vídeos explicando sua missão, visão de futuro e também sua forma de agir.

Além desse conteúdo inicial você produzirá conteúdos para influenciar a mudança de mentalidade da sua audiência, como no caso a cima, de uma pessoa que não se importa com a poluição, e que precisa entender como isso pode ser prejudicial.

Existem diversos canais, alguns específicos para áudio, outros específicos para imagens, outros específico para textos longos ou curtos.

O importante realmente para gerar uma zona de engajamento é manter o mesmo estilo durante a produção do conteúdo, e para não se perder oriente-se pela sua marca e sua história de vida.

Como no meu caso em particular, sou empreendedor atualmente e gosto muito da filosofia zen-budista, e procuro passar essa mensagem adiante.

Eu costumo gravar vídeos em áreas verdes, os meus áudios tem sempre um fundo contemplativo, e até minhas redes sociais tem essa “pegada”.

Todos os conteúdos devem ficar alinhados, sejam nas cores que vai utilizar, no estilo da comunicação, como no conteúdo em si.

O grande problema de gerar audiência é misturar muitos elementos e não conseguir um público realmente engajado, por isso é importante primeiro definir sua marca.

Com a marca criada, e as zonas de engajamento definidas basta produzir conteúdo e converter as pessoas para sua finalidade, seja vender, conseguir contratos, fechar parcerias.

(Está gostando do conteúdo até aqui? Compartilhe com seus amigos!)

Um exemplo de zona de engajamento é fórum on-line, parecido com os grupos que temos hoje no Facebook, foi em um desses fóruns privados que conheci o nosso colega Fábio.

Esse fórum tem pessoas engajadas no mesmo objetivo e uma forma bem bacana de relacionamento entre os membros. Se tiver curiosidade visite o Libertação Digital (link afiliado).

Acabamos nos conhecendo nesse fórum e trocando mensagens, percebemos que temos muito em comum por isso costumamos nos apoiar na evolução dos nossos negócios.

Para sintetizar essa última parte, sobre zonas de engajamento:

Pense em produzir conteúdos com qualidade e com consistência para atrair novas pessoas para o seu site ou conteúdo e depois mantenha contato com essa pessoa por e-mail, indicando novos conteúdos.

Esses conteúdos têm como finalidade contextualizar sua audiência para entender e ver o mundo como você pretende, mostrando outras formas de pensar, ver, expressar sobre um determinado assunto.

Recapitulando o que vimos nesse artigo:

  • É importante definir uma mensagem principal!
  • É importante definir uma zona de engajamento!

Bônus: Se você se vender como mais um será mais um, se você se vende como produto de valor terá valor!

Espero que esse artigo ajude você a empreender e que você tenha uma Marca Forte e Influente que ajude a vender mais e melhor daqui em diante.

Para quem quiser entrar em contato aqui abaixo estão minhas redes sociais:
Site: www.empresacarpediando.com.br
Canal do Youtube: http://youtube.com/carpediando
Fã Page do Facebook: http://facebook.com/empresacarpediando
E-mail: contato@empresacarpediando.com.br
Skype: empresa.carpediando